I AM AND YOU ARE (AN) ANIMAL, aren’t we?

PELO MENOS 26 MIL ANIMAIS FORAM AFETADOS PELAS ENCHENTES EM SANTA CATARINA; ENTIDADES DE SÃO PAULO ORGANIZAM CAMPANHA PARA DESABRIGADOS

Tobias Mathies/AFPPhoto

Equipe de resgate em busca de sobreviventes
eles precisam de ajuda

por Flávia Gianini

Durante 11 dias, um grupo percorreu a região de Itajaí, a mais afetada pelas chuvas em Santa Catarina, atrás de animais. Era uma caçada do bem. Na peregrinação, conseguiram salvar 80 bichos. Todos eles estavam muito assustados. Alguns, presos em quintais de casas abandonadas. Outros, sobre telhados e carros. A maioria passava frio, fome e sede. Houve casos de cães afundados no meio da lama.

Eles foram alojados no canil da ONG Viva Bicho, que já soma um total de 650 animais. Para complicar a situação, a sede da entidade corre sério risco de desabar. “Isso parece um pesadelo”, desabafa Bianca Jung, 26, secretária da organização.

Vítimas silenciosas da tragédia, cerca de 26 mil animais domésticos foram afetados pelas enchentes, estima a Rede Catarinense de Solidariedade aos Animais (Resa). Analista de ações para catástrofes, o veterinário Werner Payne, da ONG Veterinários Sem Fronteiras, sobrevoou com a Defesa Civil a zona interditada do complexo do Baú, a mais atingida por desmoronamentos.

Cem mil animais, entre aves, porcos e bois, continuam presos na região, segundo estimativa do especialista. Muitos morreram afogados e soterrados.

“A água baixou e agora é possível ver os corpos jogados. Há ainda centenas deles vagando pelas ruas, famintos e com sede”, conta Halem Nery, 61, coordenador da Resa e secretário do Instituto Ambiental Ecosul. Existem bichos presos em casas vazias. Outros estão ilhados em árvores, sem poder se mexer ou se alimentar.

Em meio à tristeza, às mortes e ao sofrimento, a solidariedade promove a esperança. Entidades de defesa de São Paulo começam a organizar campanhas para ajudar os animais em Santa Catarina.

Até a noite da última quinta, cinco casos de leptospirose tinham sido confirmados. Amanhã, uma nova campanha de vacinação em massa deve ser realizada. Para conseguir salvar a vida dos animais abandonados, as entidades contam agora com mais um capítulo da solidariedade humana.

O que doar:
Água potável
Caixa de transporte
Casinha
Coleira
Material de higiene
Ração
Remédios (antibióticos, sarnicidas e anestésicos)
Utensílios médicos (máscaras, luvas, seringas e agulhas)
Vacinas

=-=-=-=-=-=-=

Onde:
Casa do Consolador

(www.casadoconsolador.com.br).

Rua Guapiaçu, 75.

Pet Center Marginal (www.petcentermarginal.com.br). Av. Presidente Castelo Branco (marginal Tietê), 1.795, tel. 2797-7400.

Posto de Coleta. Av. Marechal Mario Guedes, 301, Jaguaré, tel. 3768-1977

E ainda tem mais este que tirei daqui da Fal:

“Eu não fico aqui fazendo altas campanhas, porque acredito do fundo do coração que cada um sabe o que fazer. Mas enfim, a Cora falou, a Jã me escreveu pra reforçar e eu acho que não existe causa mais meritória: os bichinhos de Santa Catarina também são vítimas da tragédia e a gente vive esquecendo deles.
Bianca, da ONG Viva Bicho
(47) 8425-1459 | 9903-5441

Para ajudar a ONG com doações em dinheiro: (porque nessas horas, meus caros, a gente pecisa mesmo é de grana)

Banco do Brasil Ag. 1489-3 cc 20793-4
Associação Viva Bicho
CNPJ 06 156 776 / 0001 – 81

*
É quase sábado, corações, e eu tou voando baixo aqui.”

A Fal é TUDA mesmo, né? Vocês tão lendo e acompanhando a Fal lá no IG, tão ou não tão?. Tá bombando. Tá lindo.
Pois é, imaginem se iam esperar por mim.
Aqui ó:
Esse de hoje, está o fino, quer dizer, o máximo, baratotal, como só ela escreve.
.
Me esperem só um tiquinho mais. Tá, amores?

Anúncios