Wikipedia – você confia nela?

Novo site desmascara alterações na Wikipedia WikiScanner mostra empresas e governos que mudaram artigos da enciclopédia

Governo dos EUA e do Vaticano e empresas como a Apple e a Microsoft estão entre os revelados pela criação de Virgil Griffith

MARCO AURÉLIO CANÔNICO
DA REPORTAGEM LOCAL

Que os artigos da enciclopédia on-line Wikipedia (www.wikipedia.com) eram passíveis de alterações desinformativas, já se sabia. Agora, graças à invenção de um estudante norte-americano, é possível saber quem modificou o quê -e os resultados têm causado um frenesi mundial.
Tal reação -da imprensa, de governos, empresas e, é claro, usuários da rede- era exatamente o que Virgil Griffith, 24, esperava ao criar o WikiScanner (wikiscanner.virgil.gr), segundo disse em entrevista à Folha, por e-mail.
Lançado há duas semanas, o site permite vasculhar os arquivos da Wikipedia em inglês (e, mais recentemente, em alemão e japonês) em busca dos computadores de onde saíram modificações feitas em artigos.
Rapidamente os usuários descobriram que, dos sistemas de diversos governos (EUA, Austrália, Portugal, Vaticano) e organizações (Microsoft, Apple, PepsiCo etc.), partiram alterações que apagavam críticas e dados negativos em textos (veja quadro ao lado).
“Tive a idéia após ouvir sobre os congressistas [dos EUA] que foram pegos limpando suas páginas na Wikipedia”, disse Griffith à Folha.
“Meu objetivo era criar vários desastres de relações públicas para os envolvidos.”

Dourando a pílula
Para quem vivia protegido pelo anonimato que a Wikipedia permite (seus artigos são escritos por colaboradores anônimos e podem ser modificados livremente), o WikiScanner é uma ferramenta que traz revelações embaraçosa.
Ele permite descobrir, por exemplo, que a Pepsi alterou menções sobre os malefícios do consumo excessivo de refrigerante (a Coca-Cola fez o mesmo), que o FBI alterou o artigo sobre a prisão de Guantánamo e que a Anistia Internacional removeu críticas.
O site de Griffith não permite afirmar incontestavelmente que as modificações são decisões corporativas ou ordens vindas das chefias. Ele apenas indica os computadores (por meio de sua “identidade”, o IP, internet protocol) de onde saíram as alterações.
O método do WikiScanner lembra as ferramentas de busca mais comuns -o usuário pode procurar pelos nomes que fizeram alterações, pelos locais de onde as mudanças foram feitas, pelo IP dos computadores e ainda por artigos modificados.
Colocando “Banco do Brasil”, por exemplo, na pesquisa, o usuário descobre 334 alterações em artigos da Wikipedia em inglês feitas a partir de computadores da instituição.
Há acréscimos (o nome do banco entrou na lista de organizações conhecidas como BB, por exemplo), alterações em artigos de história (veja abaixo) e diversos pitacos em textos sobre temas diversos como futebol, Carnaval e artistas.
Por enquanto, a ferramenta não deve causar maior apreensão no Brasil, já que Griffith não planeja fazer uma versão em português. Mas ele deixa um caminho aberto.
“Vou liberar o código-fonte do programa e qualquer um poderá fazer uma versão brasileira do WikiScanner”, anuncia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s