‘Gentileza com gentileza se paga.’

29/06/2007

É hora de ser gentil

Reinaldo Polito

Para falar da gentileza, vou aproveitar o comentário que o filósofo René Descartes fez sobre o bom senso na sua obra “Discurso do Método”: “o bom senso deve ser o bem mais bem distribuído da face da Terra, pois ninguém deseja ter quantidade maior do que já possui.

E não é assim que a maioria de nós se comporta? Queremos um pouco mais de tudo -mais poder, mais riqueza, mais fama, porém, julgamos ter bom senso em quantidade mais que suficiente.

O mesmo ocorre com a gentileza. Quase sempre imaginamos que já somos suficientemente gentis. Se dissermos a uma platéia que de cada cem pessoas apenas dez são gentis, provavelmente todos os presentes julgarão que se enquadram nesses 10%.

Por isso, vamos refletir um pouco sobre como temos nos relacionado com as pessoas e sejamos nosso próprio juiz para decidirmos se a gentileza está ou não presente em nossas atitudes.

Se chegarmos à conclusão de que o bom relacionamento anda ausente do nosso manual de conduta, talvez possamos rever a maneira como temos nos comportado e passemos a levar uma vida social diferente, com mais generosidade.

É simples ser gentil
Embora um dos símbolos da gentileza seja o do homem que tira o casaco e o coloca sobre a poça para que uma mulher caminhe sem molhar os pés, no dia-a-dia, ser gentil não exige tanto sacrifício.

Para ser gentil basta tomarmos alguns pequenos cuidados que não nos darão tanto trabalho, nem nos desviarão muito dos nossos afazeres. Vamos analisar alguns exemplos de gentilezas que podemos incorporar com facilidade aos nossos hábitos.

Segurar a porta de entrada do restaurante ou do elevador para que a pessoa a encontre aberta. Essa atitude tão simples demonstra educação, generosidade e espírito de solidariedade.

Quem sabe alguém pudesse questionar agora: “Polito, mas o que eu ganho sendo gentil?” Bem, nós não deveríamos nos preocupar se há ou não algum tipo de lucro, benefício ou vantagem para quem age com gentileza. Em todo caso, se for preciso falar em dividendos para que uma pessoa se anime a ser gentil, motivos não faltarão.

No exemplo acima, ao segurar a porta na entrada do restaurante ou do elevador, a atitude simpática talvez não seja valorizada apenas por quem foi beneficiado pelo gesto, mas também, e acima de tudo, por todos que presenciaram aquela gentileza.

Não é difícil deduzir que com esse procedimento projetaremos aos olhos dos outros uma imagem bastante positiva, de que somos pessoas bem formadas, que merecemos admiração.

E gentileza se paga com gentileza. Se alguém segurar a porta para nós, devemos retribuir com um agradecimento. Sei que parece desnecessário esse tipo de recomendação, mas já perdi a conta do número de pessoas que observei passando duras e indiferentes por aquele que gentilmente segurou a porta para elas. Essa desconsideração é um bom motivo para que nos vejam como mal-educados, grosseiros e poderemos conquistar antipatias até sem mencionarmos uma única palavra.

Ainda dentro dos exemplos das gentilezas que nos cercam no dia-a-dia, podemos incluir o gesto cada vez mais raro de ceder o lugar no transporte coletivo ou numa sala de espera às pessoas mais velhas, ou de qualquer idade que estejam carregando crianças no colo, sacolas, ou objetos que claramente demonstrem algum tipo de desconforto.

Eu disse que esse gesto é cada vez mais raro porque o costume de ceder lugar, que fazia parte das nossas boas tradições, começa a ser desprezado. Mais grave ainda é a atitude do homem que ao invés de oferecer o lugar a uma senhora idosa, rasga a cartilha do bom comportamento e privilegia uma moça jovem e saudável. Provavelmente nem ela que foi beneficiada goste daquela atitude. Os que estão a sua volta vão torcer o nariz e encará-lo como alguém desprezível.

Observe que as gentilezas que estou mencionando são as mais simples e comuns no nosso cotidiano. Convivemos a vida inteira com situações onde elas poderiam ser usadas de maneira bastante natural, praticamente sem esforço.

Exemplo de gentilezas é que não falta. Vamos supor que tenhamos ido a uma festa ou um jantar na casa de amigos. Para saber que atitude eles gostariam que tivéssemos, basta nos colocarmos no lugar deles e imaginarmos como desejaríamos que nossos amigos agissem no dia seguinte.

É claro que esperaríamos que dessem um retorno dizendo como o encontro havia sido agradável. Por isso, não negligenciemos, não custa nada ligar para eles e falar com detalhes, de maneira natural, sobre tudo o que foi positivo.

Não seria mal se mandássemos algumas flores acompanhadas de um cartão elogiando a maneira como nos recepcionaram. Não dará muito trabalho, e eles se lembrarão de nós sempre com simpatia.

A gentileza também pede passagem nas reuniões e nos bate-papos. Se há uma situação desagradável, é estar numa conversa e ficar à margem, como se nós não existíssemos. Quando a pessoa é inibida, o constrangimento é ainda maior, pois além de ficar marginalizada ela se sente pressionada e sem condições de participar.

Se nós incluirmos na conversa uma pessoa tímida ou que se sinta deslocada numa reunião, ela jamais nos esquecerá. Mesmo que o assunto não tenha nenhuma ligação com ela, podemos olhar em sua direção, pedir sua opinião, perguntar sobre o filho dela, enfim, mostrar que ela tem importância. É quase certo que essa atitude gentil a sensibilizará e a deixará sempre agradecida.

Abrir a porta do carro e puxar a cadeira para uma mulher continua na moda e é uma gentileza do homem sempre vista com bons olhos. Se você for homem e não estiver acostumado a abrir a porta do carro ou puxar a cadeira para uma mulher, é possível que se sinta sem jeito quando começar a tomar essas atitudes, pois terá a impressão de que todos olham em sua direção para ridicularizá-lo. Mas é só impressão, em pouco tempo terá se acostumado e passará a agir com espontaneidade.

Nessas situações não podemos hesitar, devemos agir com determinação e nos comportar de maneira convicta, como se fosse uma iniciativa bastante natural. Se você for mulher e receber esse tipo de gentileza, lembre-se de agradecer e se mostrará muito gentil se em locais movimentados, escuros ou em dia de chuva retribuir abrindo a porta do motorista por dentro, para facilitar a entrada do seu companheiro.

Falando em gestos gentis, enviar flores, independentemente de ser homem ou mulher, será uma atitude sempre admirada e com excelentes resultados para o relacionamento.

Expressões de ouro
Além das atitudes gentis que acabamos de analisar, algumas expressões são excepcionais para nos aproximar das pessoas. Mas, por sua importância não ser considerada de forma correta, tem gente que nem se lembra mais de que elas existem.

Se dissermos “por favor” ao iniciarmos ou concluirmos qualquer pedido, adicionaremos à frase uma simpatia capaz de afastar barreiras que nem os mais poderosos argumentos conseguiriam suplantar.

Esse poder mágico do “por favor” não se restringe à comunicação oral. Se essa expressão gentil for usada ao escrevermos uma carta, um relatório, um e-mail, ou mesmo um simples bilhete, dará à mensagem poderes adicionais que ajudarão a persuadir e afastar as mais resistentes objeções.

Lembremo-nos, todavia, de que o tom de voz tem importância fundamental nesse processo. De nada adiantará pedirmos “por favor” com um tom de voz que indique uma atitude autoritária, ou apenas uma espécie de obrigação de alguém que deseja apenas se valer de uma técnica, de um recurso que não corresponda ao que estiver sentindo. As pessoas irão perceber essa artimanha e duvidarão de nossas intenções. Devemos falar com sinceridade e demonstrar que reconhecemos que a pessoa fará algum tipo de sacrifício ou de esforço para nos atender, ainda que seja obrigação dela.

Para sermos gentis, não podemos economizar a palavra mais importante que temos à disposição, “obrigado”. Embora o Aurélio estabeleça apenas três conceitos para definir o sentido de obrigado, eles são bastante abrangentes e podem se encaixar facilmente em praticamente todas as circunstâncias: agradecido, grato, reconhecido.

Por isso, a regra geral é agradecer a todas as pessoas o tempo todo. Se alguém nos der passagem, vamos dizer “obrigado”, se nos der atenção, vamos dizer “obrigado”, se atender a um pedido nosso, vamos dizer “obrigado”. Não existe nada tão fácil e mais eficiente do que dizer “obrigado”. Se o que nos fizerem for muito importante, estiquemos um pouco mais e vamos dizer “muito obrigado”, será uma forma simpática de dizer que nós ficamos realmente agradecidos.

Os comerciantes que tiveram de sobreviver a duras penas, procurando manter seus negócios a cada dia, aprenderam o valor das gentilezas. Para eles, dizer “obrigado”, “pois não, em que posso servi-lo?”, “volte sempre”, tornou-se um hábito natural como respirar ou se alimentar. E, por saberem como os clientes são importantes, usam essas expressões com sinceridade, cativando as pessoas com as quais precisam se relacionar.

Ser solidário nas realizações bem-sucedidas das outras pessoas é uma bonita demonstração de gentileza. Precisamos aproveitar todas as oportunidades para cumprimentar os vitoriosos pelos seus feitos. Se uma pessoa que conhecemos ou alguém da sua família recebe uma homenagem, é aprovada num concurso, é citada com destaque, vamos cumprimentá-la.

Parabéns é uma palavra que todo mundo espera ouvir pelas conquistas que obteve. Essa expressão sempre que possível deverá ser acompanhada dos motivos da façanha; por exemplo, parabéns por ter conseguido passar no vestibular; parabéns pelo nascimento do filho. Devemos ficar atentos e, ao descobrirmos que alguém tem motivo para ser cumprimentado, tomemos a iniciativa.

SUPERDICAS DA SEMANA

Reinaldo Polito

Reinaldo Polito

é mestre em ciências da comunicação, palestrante e professor de expressão verbal. Escreveu 15 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares

Site: www.polito.com.br
e-mail: polito@reinaldopolito.com.br

Anúncios

16 respostas em “‘Gentileza com gentileza se paga.’

  1. Olá!

    “Surfando” aki na net em busca de um pensamento ou texto que fosse capaz de exprimir meus sentimentos para com a atitude de meus sócios, achei seu texto. De uma clareza e leveza ímpares. Obrigada! vou enviar o link para os dois marmanjos que são totalmente travados na arte de ser gentil. Para os dois, tudo o que faço foi simplesmente ‘porque quis’. Talvez a intenção tenha sido a de evitar o plágio, pq não consegui copiar para imprimir e colocar no nosso mural…snif
    Abraços

    RESPOSTA!
    Hahahah,
    Ana Teresa, que comentário delicioso!
    Que bom que foi útil
    Um beijo e volte sempre.
    O meu blog principal é o http://flabbergasted2.wordpress.com

    Meg

    P.S Vou enviar por email o texto para vc imprimir, tá bem?

  2. Fazendo um ‘rolê’ pela net, me deparei com seu artigo e fiquei super feliz em saber que a palavra”gentileza” ainda persiste,senão for na vida real existe nos livros.
    Conversando numa reunião de amigos percebi, infelizmente, que os homens cada vez mais são despercebidos desse gesto de ser gentis, foi quando lembrei do seu artigo…
    Mas não deu outra, enviei essas pequenas dicas para meus amigos insensíveis daquela reunião. E me sinto feliz hoje, que por concidência ou não, pelo menos 4 daqueles homens ( e olha que eram 18 marmanjos) conseguiram ser gentis com suas esposas, e é claro, todas me agradeceram pelo toque.
    E porisso que estou aqui agradecer á Você, por ser esse homem gentil e sensível que tu és e por dar exemplos tão maravilhosos como esses. Muito obrigada.

  3. Texto nota 10, adorei ter lido, me ajudou batante no meu trabalho e abriu bastante minha mente, parabéns e obrigada por um texto tão lindo

  4. Ai q Téedio Minha professora passou um trabalho valando nota do 3 bim. e ate agora naum aceeeeeei nada e esses teextos estão muiitos grandeeees, ée reeesumoooooooo q eu quero naum o texto compleeto :@ =D !

  5. passeand ak na net percebo que sse texto era tudo oq eu precisava….
    esse texto esta otimo…..
    com ele conseguiu transmitir a mensagem que queria para meus colegas de sala de aula…..
    a professora achou um texto muito bom…….
    parabens pelo seu texto…..
    abraços……Izabela/mg

  6. ser gentil não exige tanto sacrificio.

    Para: Mariza Gomes de Souza Gontijo.
    minha professora te adoramos

    De: todos da sala.

    Município:Rondonópolis.

    • Realmente, Andreza, você tem razão, ser gentil não exige sacrifício, apenas boa vontade.
      Parabéns para sua professora que tem uma aluna como você.
      Volte sempre e obrigada por comentar.
      Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s