Filósofo, poeta e amigo

O alemão Jürgen Habermas relembra o pensador pragmatista americano Richard Rorty, morto no dia 8.

JÜRGEN HABERMAS

Recebi a notícia por e-mail, faz quase um ano. Como tantas vezes nos últimos anos, Rorty expressava seu desconsolo diante de [George W.] Bush, o “presidente da guerra” cujas políticas tanto afligiam um patriota como ele, que sempre quisera “realizar” seu país.
Depois de três ou quatro parágrafos de análise sarcástica, vinha a frase inesperada: “Mas o fato é que estou com a mesma doença que matou Derrida”. Como se quisesse atenuar o choque, ele acrescentava que, segundo sua filha, esse tipo de câncer parece típico de quem “lê muito Heidegger”.
Três décadas e meia atrás, Richard Rorty livrou-se do corselete de uma profissão cujas convenções haviam se tornado estreitas demais para ele. Não o fez para se furtar à disciplina do pensamento analítico, mas para levar a filosofia a caminhos ainda não explorados.

Criatividade
Rorty sabia manejar magistralmente o aparato da nossa profissão; em duelos com os melhores entre seus pares -como Donald Davidson, Hilary Putnam ou Daniel Dennett-, ele era uma fonte inesgotável de argumentos sutis e sofisticados. Mas ele jamais esqueceu que a filosofia -a par das objeções dos colegas- não pode deixar de lado os problemas com que a vida nos depara.
Entre os filósofos contemporâneos, não conheço nenhum que se igualasse a Rorty na capacidade de confrontar seus colegas -e não apenas seus colegas- com novas perspectivas, novas intuições e novas fórmulas.
Essa criatividade espantosa deve muito ao espírito do poeta que deixara de se esconder atrás do filósofo acadêmico bem como ao brio retórico e à prosa impecável de um autor sempre disposto a chocar seus leitores com estratégias inauditas de representação, conceitos inesperados e novos vocabulários -um dos termos favoritos de Rorty. A arte ensaística de Rorty cobria toda a gama entre Friedrich Schlegel [1772-1829] e o surrealismo.

Orquídea selvagem
A ironia e a paixão, o tom jocoso e polêmico de um intelectual que revolucionou nossos modos de pensar e influenciou gente em todas as partes do mundo -tudo isso sugere um temperamento robusto. Mas essa impressão não faz justiça à natureza gentil de um homem muitas vezes tímido e reservado -e sempre sensível aos demais.
Um breve texto autobiográfico de Rorty traz o título de “Trotsky e as Orquídeas Selvagens” (disponível em
www.philosophy.uncc.edu/mleldrid/cmt/rrtwo.html). Rorty conta que, quando rapaz, gostava de caminhar pelas colinas em flor do noroeste de Nova Jersey e sentir o perfume poderoso das orquídeas.
Por essa mesma época, descobriu um livro fascinante na biblioteca de seus pais esquerdistas, uma defesa de Trótski contra Stálin. Assim nasceu a visão que o jovem Rorty levou consigo para os anos de universidade: a filosofia existe para reconciliar a beleza celestial das orquídeas com o sonho de justiça sobre a Terra.
Nada é sagrado para Rorty, o ironista. Quando lhe perguntaram, no fim da vida, sobre o “sagrado”, o ateu rematado respondeu com palavras que fazem pensar no jovem Hegel: “Minha noção de sagrado se prende à esperança de que, em algum dia distante, nossos descendentes viverão numa civilização global em que o amor será a única lei”.

Este texto saiu no “Süddeutsche Zeitung“.Tradução de SAMUEL TITAN JR.


Alguns livros de Rorty
Para Realizar a América (ed. DPA)
A Filosofia e o Espelho da Natureza (Relume-Dumará)
Objetivismo, Relativismo e Verdade (Relume-Dumará)
Ensaios sobre Heidegger e Outros Escritos Filosóficos (Relume-Dumará)
Contra os Chefes, contra as Oligarquias (DPA)
Verdade e Progresso (Manole)
=-=-=-=-=-=-
-=-=-=-
Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s